Doutoramento

Projeto de Doutoramento em Migrações (programa doutoral IGOT )

Mobilidade dos Artistas Portugueses: Capital Transcultural e Emigração nas Artes Visuais

Doutorando: Leandro Gabriel (IGOT) | Referência bolsa FCT: PD/BD/113552/2015

Orientadores: Jorge Malheiros (IGOT) + Vera Borges (ISCTE) + Isabel André (IGOT)

O aumento da mobilidade e a emergência de novos fluxos migratórios internacionais têm contribuindo para um redesenhar da geografia social e cultural do mundo da arte. Para muitos artistas e outros profissionais da cultura, mover-se, residir e trabalhar fora da sua origem, é cada vez mais uma opção de vida e parte integrante do seu trabalho, na medida em que intensifica a partilha de valores e estimula a criatividade, ao mesmo tempo que amplia o público e os canais de distribuição de bens e serviços culturais, muito longe do ponto de produção e para além das fronteiras nacionais. Esta realidade deve-se também ao mérito que algumas cidades mundiais – e respetivas cenas culturais – têm na disponibilidade para estimular e atrair jovens artistas, fomentando complexas teias migratórias entre eventos, instituições culturais e escolas artísticas, constituindo assim uma das mais polarizadas redes socioculturais do sistema migratório global.

Além disso, as migrações contemporâneas têm sido caracterizadas por relações mais fluidas entre nativos, migrantes e as suas comunidades de origem, no âmbito das quais as fronteiras culturais tendem a ser, cada vez mais, negociáveis e redefinidas. Por conseguinte, estes migrantes transnacionais vivem num mundo fortemente móvel e interconectado e, em grande medida, marcado por intercâmbios culturais frequentes, adaptando-se a vários ambientes sociais, desenvolvendo competências interculturais e muitas vezes experienciando identidades complexas que envolvem diferentes lugares ou comunidades. Com efeito, os artistas transnacionais, à semelhança de outros grupos de migrantes caracterizados por práticas transnacionais, tendem a desenvolver formas ativas de participação nos processos económicos, políticos, cívicos e culturais, simultaneamente nos seus locais de origem e destino. Estes artistas, para além de estimularem a dimensão simbólica da sua habilidade artística para se conectar emocionalmente com diferentes indivíduos em diferentes lugares, procuram aproveitar e converter essa mistura de capital social e cultural em condições de vida propícias ao trabalho que querem desenvolver.

Neste contexto, esta investigação pretende aprofundar as relações entre o mundo das artes visuais e a emigração de artistas portugueses, questionando-se sobre porque se movem tanto os artistas e o que procuram nessa mobilidade; sobre a configuração dos percursos geográficos desta emigração internacional; sobre o que motiva estes artistas a emigrar; sobre as condições e circunstâncias que definem o destino da emigração; assim como a importância do capital transcultural no encorajamento da sua saída de Portugal. Esta investigação tem também como um dos seus grandes objetivos aprofundar a forma como os artistas visuais portugueses mobilizam e reforçam o seu capital transcultural na emigração, a partir da utilização estratégica dos conhecimentos, habilidades e redes imbricadas em Portugal e na cultura portuguesa, que são ativados nos seus novos lugares ou comunidades de residência.

Anúncios